Análise: Palmeiras torna Libertadores fácil e avança com desempenho avassalador

Jogadores do Palmeiras abraçam Rony após golaço de bicicleta — Foto: Marcello Zambrana/AGIF
ge — São Paulo

Verdão goleia mais um adversário e elimina o Cerro Porteño com 8 a 0 no agregado. Com 100% de aproveitamento, time de Abel Ferreira tem média de quatro gols por jogo nesta edição

Palmeiras tem sido avassalador nesta Copa Libertadores. Classificado para as quartas de final, o atual bicampeão eliminou o Cerro Porteño, do Paraguai, nas oitavas de final, com 8 a 0 no placar agregado – na quarta, no Allianz Parque, o Verdão fez 5 a 0, com direito a gol de bicicleta de Rony.

Com 100% de aproveitamento na competição (oito vitórias em oito jogos), média de 4,1 gols marcados por jogo e apenas três sofridos em todo o torneio, o atual bicampeão chega com um desempenho que tem assustado as outras torcidas.

Desde o sorteio que de fato deu ao Verdão um grupo mais acessível, o time de Abel Ferreira não tem dado chances a quem enfrenta na maior competição da América do Sul. E aos que falam do baixo nível dos adversários, receberam uma resposta do técnico português:

– Parece que os adversários são fáceis, né?! Quando jogam contra nós, todos os adversários são fracos. Na fase de grupos, tudo fraco. Adversários fracos... Tudo fruto do nosso trabalho.

Palmeiras de 2022 não é o primeiro time a enfrentar equipes mais modestas do continente, só que é o primeiro em muito tempo que não apenas vence, mas passa por cima.

Depois dos 3 a 0 diante do Cerro no Paraguai, Abel rodou a equipe e poupou Marcos Rocha, Murilo, Zé Rafael, Scarpa e Rony. O camisa 10 teve de entrar ainda no primeiro tempo por conta de um incômodo muscular de Rafael Navarro, e a história do jogo mudou.

Rony ergue as mãos para o alto e comemora gol do Palmeiras — Foto: Marcos Ribolli

Rony ergue as mãos para o alto e comemora gol do Palmeiras — Foto: Marcos Ribolli

Em sua primeira participação, Rony perdeu um gol praticamente na pequena área; na jogada seguinte, obrigou a defesa do Cerro a cortar um cruzamento para escanteio. Na cobrança, 1 a 0 para o Palmeiras, com gol contra de Samudio.

A partir da vantagem, o jogo estava totalmente controlado pelo atual bicampeão e parecia se encaminhar para uma vitória simples, já pensando na sequência de jogos por Brasileiro e Copa do Brasil. E então veio mais uma avalanche.

Assim como já aconteceu contra Atlético-GO e São Paulo, o Palmeiras empilhou gols em sequência. Foram três em seis minutos, transformando o confronto em mais uma goleada alviverde, que atingiu o seu ápice aos 37 da etapa final, quando Rony, enfim, fez o seu sonhado gol de bicicleta.

O silêncio dos 37 mil torcedores no momento do cruzamento de Breno Lopes, e a explosão, com aplausos de pé para o atacante, deram um clima especial para mais uma fase de uma campanha que está sendo muito especial, também.

Os palmeirenses se divertem em noites de Libertadores com buscas nas redes sociais usando termos como "el Palmeiras", para acompanhar os comentários impressionados dos adversários sul-americanos. Não são poucos os elogios.