Baptistão revela vergonha de sair de casa e choro com amigos por má fase que viveu no Santos

Léo Baptistão durante treino do Santos — Foto: Ivan Storti/Santos FC
ge — Santos, SP

Hoje titular, atacante conta detalhes sobre os momentos difíceis no Peixe

O atacante Léo Baptistão demorou para engrenar no Santos. Anunciado pelo Peixe em agosto do ano passado, o jogador viveu por um longo período sem gols e com críticas vindas da torcida.

Em entrevista ao "Santos Cast", podcast oficial do clube, o camisa 92 revelou que foi um período difícil para ele. Principalmente, após a partida contra o Cuiabá, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2021.

– Peguei alguns jogos, cheguei em um momento difícil aqui no Santos, tentei dar meu máximo e me machuquei. Voltei contra o Cuiabá, que era o jogo em que a gente já estava sossegado, mas também podia pegar a Libertadores. O estádio caiu em cima de mim. Nossa! Fui para o vestiário mal e fiquei com aquilo na cabeça. Malzão.

Nesta temporada, Baptistão tentou dar a volta por cima ainda no Campeonato Paulista, mas as boas atuações demoraram a voltar. Isso afetou a vida pessoal do camisa 92, que evitava sair de casa por vergonha.

– Começou o Paulista e também não comecei jogando bem. Aí, senti a panturrilha um pouco e fiquei fora uns jogos. Meus amigos perguntavam: "Meu, cadê tu? A gente via mais você quando estava na China do que em Santos". A minha esposa queria sair para jantar, eu dizia que não ia. Tinha vergonha de ver meus amigos porque estava no Santos, não estava rendendo e vinha todo mundo no estádio. Eles me viram sendo vaiado contra o Cuiabá, foi algo que mexeu muito comigo.

Em um dia, Léo Baptistão decidiu chamar dois amigos para sair. Neste encontro, o jogador desabafou e foi às lágrimas pelo momento. Porém, depois desta conversa, o atacante conseguiu dar a volta por cima.

– Chamei dois amigos mais próximos em uma segunda-feira. Falei para irmos num bar. Pegamos uma garrafinha de cerveja mesmo, para desabafar. Comecei a chorar com eles. Falei: "Cara, não sei o que estã acontecendo comigo. Não estou conseguindo render". E comecei a chorar. Eles falaram para eu relaxar que iria dar a volta por cima. A partir daí comecei a me ligar que a vida é muito mais que isso. Comecei a tirar esse peso de cima de mim, de querer triunfar no Santos. Minha esposa me ajudou muito, meu pai e minha família, óbvio. Fui para casa, comecei a treinar de novo, voltei e me recuperei. Quando tive oportunidade na Sul-Americana eu fiz um bom jogo. Fiz o gol contra a Ferroviária e tirei um caminhão das costas. Comecei a deslanchar e fiquei mais sossegado.

Nesta temporada, Léo Baptistão tem 21 jogos e seis gols, além de três assistências pelo Santos.