Cresce o número de focos do mosquito causador da Dengue em Garopaba

Vigilância Epidemiológica fazendo vistoria no bairro Campo D'una, em Garopaba, no combate ao mosquito transmissor da dengue, zica e chikungunya, o aedes aegypti. (Foto: Alan Pedro/PMG)

O Governo de Garopaba intensifica a fiscalização e o trabalho de prevenção do mosquito da dengue no município. No mês de março, dois focos do mosquito Aedes aegypti foram encontrados no bairro Campo Duna. “Uma varredura dos ambientes com água parada, no raio de 300m² foi imediatamente feita”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Garopaba, Eduarda Serafim Pacheco.

Segundo a coordenadora, foram registrados ainda dois casos positivos para dengue, sendo ambos não autóctones, ou seja, pessoas que contraíram a doença em outro município. “A limpeza não se restringe somente às residências. É importante ficar atento a possíveis focos de água parada na escola, no trabalho e em outros locais frequentados diariamente”, alerta Eduarda.

É importante ressaltar que, além das armadilhas, as quais sofrem manutenções semanais pelos agentes de combate a endemias, existem outras medidas de prevenção ao mosquito, tais como usar telas em janelas e portas, limpar calhas, colocar areia nos pratos de plantas, cobrir piscinas, deixar as lixeiras bem tampadas, recolher e acondicionar o lixo do quintal e usar repelente.

Por fim vale ressaltar, que a Prefeitura de Garopaba começou a publicar toda as sextas, um boletim epidemiológico do mosquito da Dengue. Além disso, o órgão municipal inicia a campanha de conscientização da população a partir desta segunda-feira, 4. São informativos e vídeos veiculados através das redes sociais oficiais do município. Qualquer dúvida, entre em contato com a Vigilância Epidemiológica no telefone: 32548104.

Dengue
Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

De olho em SC
Santa Catarina já registrou mais de 500 casos de dengue em 2022. No total, 119 municípios catarinenses estão infestados pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor de três doenças: dengue, zika vírus e chikungunya. Esse dado representa um incremento de 10,2% em relação ao mesmo período de 2021, que registrou 108 municípios nessa condição.

Outro dado preocupante: 26 municípios registram transmissão de dengue em 2022, sendo que quatro deles estão em situação de epidemia, ou seja, registram uma taxa de incidência de mais de 300 casos da doença por 100 mil habitantes. São eles: Seara, Belmonte, Romelândia e Itá.

Texto: Assessoria/PMG