Em busca do bi, seleção masculina estreia nesta quarta na Liga das Nações

© CBV/Direitos Reservados Esportes
Agência Brasil

Primeiro duelo será contra Austrália, em Brasília, sede da 1ª etapa

Campeã pela primeira vez no ano passado, a seleção brasileira masculina de vôlei inicia esta noite a busca pelo segundo título da Liga das Nações. A equipe comandada pelo técnico Renan Dal Zotto entra em quadra às 21h (horário de Brasília) contra a Austrália, no ginásio Nilson Nelson, na capital federal, que sediará os outros três jogos da primeira etapa (contra Eslovênia, Estados Unidos e China).

A competição abre o ciclo olímpico para os Jogos de Paris, em 2024. Depois de Brasília, a competição prosseguirá em Sofia (Bulgária) e a terceira etapa será em Osaka (Japão). As quatro equipes primeiras colocadas se classificam às semifinais.

O primeiro jogo do Brasil vai requerer atenção redobrada equipe, na avaliação do levantador Bruninho, capitão do time, que inicia sua 16º temporada na seleção.

“O time da Austrália sempre incomoda. Joga bem, tem potencial físico. Pelo que observamos do nosso lado, nos amistosos contra o Japão, precisamos abaixar o número de erros. Será um jogo de estreia, que sempre tem aquele nervosismo. Espero uma partida difícil”, afirma o jogador,  em depoimento à Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

A experiência de Bruninho, prestes completar 36 anos em 2 de julho, dá segurança aos atletas estreantes na seleção, que passa por um processo de renovação.

“Fico muito feliz de ajudar não só dentro de quadra, mas também com essa parte mais sutil, conversando bastante passando a minha vivência, a experiência que tenho dentro da seleção”, afirma o capitão. “Tive a sorte de iniciar com jogadores de uma geração incrível, como Giba, Serginho, Murilo, Gustavo. O que os mais jovens estão passando hoje, eu passei lá em 2006, na minha primeira Liga Mundial.

Para o primeiro confronto, Dal Zotto não poderá contar com o ponteiro Lucarelli, devido a desconforto muscular na coxa esquerda. O substituto poderá ser Victor Birigui, que se juntou à seleção na última segunda (6). O grupo escalado tem ainda os levantadores Bruninho e Fernando Cachopa; os opostos Franco e Alan; os centrais Isac, Lucão, Flávio e Leandro Aracaju; e os ponteiros Rodriguinho, Vaccari e Adriano; e os líberos Thales e Maique.

Adversários do Brasil

Primeira etapa (Brasília)

Austrália – 08/06 – 21h

Eslovênia 09/06 – 21h

Estados Unidos 11/06 – 15h

China 12/06 – 10h

Segunda etapa – Sofia (Bulgária)

Polônia – 22/06 – 11h

Sérvia – 23/06 – 10h30

Irã – 24/06 – 10h30

Bulgária 26/06 – 14h

Terceira etapa – Osaka (Japão)

Alemanha – 06/07 – 3h40

Canadá 07/07 – 6h

França 08/07 – 3h40

Japão 09/07 – 7h10