Fapesc participa de pacto para promover inovação e empreendedorismo na Região Sul

Promover ações para valorizar programas de pesquisa aplicada e aproximar empresas, universidades, governos e sociedade do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e também do Mato Grosso do Sul. Este é um dos objetivos de um acordo firmado entre o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Faps) dos quatro estados.

O Memorando de Entendimento, assinado durante o South Summit Brasil, em Porto Alegre, tem como uma das metas buscar novos investimentos públicos e privados para programas que estimulem a inovação e o empreendedorismo regional. Como organismo que atua de maneira estratégica no desenvolvimento econômico e social da Região Sul, o Condesul vai mobilizar suas comissões permanentes para estruturar ações conjuntas em favor do fortalecimento da pesquisa, ensino e inovação nos Estados-membros, buscando fortalecer os órgãos de pesquisa e instituições acadêmicas.

O memorando começou a ser desenhado em março de 2022, em Chapecó, na reunião liderada pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, atual presidente do Codesul. O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Zabot Holthausen, assumiu a Comissão de Ciência e Tecnologia e Inovação (CTI). “Nesta reunião fizemos uma provocação para o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski, e, na sequência, para os presidentes das Fapes, convidando-os para pensar em uma chamada pública conjunta envolvendo os quatro estados e trazendo o BRDE como parceiro em temas importante para todos”, contou Holthausen.

“Neste primeiro momento a ideia não é necessariamente ter recurso do BRDE, mas começar a buscar a possibilidade de que o BRDE também olhe para o movimento que estamos fazendo nas Faps de aproximação das empresas e do setor acadêmico. E que possa pensar em programas ou participar de uma segunda etapa com subsídios ou com outros editais específicos. Num primeiro momento as Fapes devem fazer uma chamada pública com a possibilidade de participação de empresas, de universidades e de pesquisadores dos quatro estados, cada Fap financiando seu estado”, afirmou Holthausen.

O presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski, ressalta que esse compromisso é resultado de “reuniões e estudos com as fundações de Amparo, Pesquisa e Inovação de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e a Fundação Araucária do Paraná, a fim de aproximar instituições de pesquisa, universidades e empresas, na busca de transformação e desenvolvimento social, para os setores produtivos do Sul do país”.

Representando o BRDE no ato de assinatura do memorando, o diretor de Planejamento do banco, Otomar Vivian, ressaltou a importância deste movimento conjunto. “É nossa missão apoiar projetos estratégicos para a região, que já tem um grande protagonismo em termos de ecossistemas de inovação. Fortalecer ainda mais este setor significa reter talentos e atrair importantes investimentos, já na esteira da efervescência que vivemos nesses três dias de South Summit”, frisou Vivian.

Gustavo Salvador Pereira, secretário-executivo do Codesul, reforça que o conselho tem por atribuição estudar os problemas e apontar soluções para os desafios das regiões envolvidas, pensando nos interesses legítimos das regiões, do país e do continente. E que, por meio da Comissão de CTI, busca fortalecer a pesquisa, ensino e inovação nos estados-membros.

Também estiveram presentes na reunião os presidentes da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), Odir Dellagostin, da Fundação Araucária de Apoio ao desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná, Ramiro Wahrhaftig, e da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundect), Márcio de Araújo Pereira.

Com informações do BRDE