Junho Vermelho: uma forma simples de salvar vidas

Assim como muitos dos meses do ano, o mês de junho também foi colorido para passar uma mensagem de conscientização que, neste mês, busca incentivar a doação de sangue. O Junho Vermelho surgiu no Brasil em 2015, como uma forma de reabastecer os hemocentros, que registram baixos níveis de sangue em estoque durante os meses mais frios do ano. 

Apesar de ser um processo simples, e até rápido, de acordo com dados recolhidos em 2021, pela OMS (Organização Mundial da Saúde), menos de 2% da população brasileira doa sangue. O percentual é considerado muito baixo quando se fala em abastecer hospitais públicos e privados e garantir que essas instituições tenham o necessário para atender seus pacientes acidentados ou com doenças crônicas.

Durante a doação são coletados 450 ml de sangue, quantidade que o corpo consegue repor em até um dia, e é importante que o doador esteja bem alimentado e hidratado, antes e depois do procedimento. Essa quantidade pode chegar a salvar a vida de até quatro pessoas. 

Sangue dos tipos A +, O - e O + são os mais solicitados, porém a doação de qualquer tipo de sangue é de grande ajuda e importância. No ano de 2021, foram recolhidas, nos primeiros seis meses do ano, cerca de 60 mil bolsas de sangue em Santa Catarina, porém, nesse mesmo período foram necessárias 85 mil bolsas para transfusões. 

Tirar um tempo para doar um pouco de si pode salvar vidas. Procure o Hemosc (Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina), que possui centros em todo o estado, e agende um horário e faça a sua parte. Seja um doador e compartilhe essa ideia. 

Para doar é preciso:

– Ter entre 18 e 69 anos;
– Estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
– Pesar mais de 50kg;
– Apresentar documento de identidade com foto (RG, carteira profissional ou CNH);
– Fazer refeições leves e pouco gordurosas nas 4 horas que antecedem a doação;
– Não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas antes da doação;
– Evitar ir ao centro de doação sem um acompanhante.