Nova lei inclui dados de autismo no Censo a partir deste ano

Foto Secom/Câmara de Duputados

Sábado, 2 de abril, foi o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Data criada com o objetivo de levar informação à população para reduzir a discriminação e o preconceito contra os indivíduos que apresentam o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Graças a Lei 13.861/19 de autoria da deputada federal Carmen Zanotto, pela primeira vez, o Censo que será realizado este ano deverá ter informações específicas sobre pessoas com autismo. Atualmente não existem dados oficiais sobre as pessoas com transtorno do espectro autista.

A partir da coleta de informações, será possível saber quantas pessoas com o transtorno existem no Brasil e a realidade socioeconômica das famílias. O novo questionário pode ser considerado um avanço na inclusão de pessoas com autismo, incluindo familiares.

“Com esses dados poderemos desenvolver políticas públicas direcionadas para a realidade de cada região do país. E levar conhecimento à população sobre o transtorno e a importância do diagnóstico precoce e tratamento, destaca a parlamentar

Estima-se que 70 milhões de pessoas no mundo tenham autismo, sendo 2 milhões delas no Brasil. Porém, até hoje nenhum levantamento oficial foi feito no país para identificar essa população.

Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O TEA resulta de uma desordem no desenvolvimento cerebral. Engloba o autismo e a Síndrome de Asperger, além de outros transtornos, e acarreta modificações na capacidade de comunicação, na interação social e no comportamento.

Gabinete Carmen Zanotto