São Paulo sobrevive com o que tem e chega fortalecido para “jogo da temporada”

Jogadores do São Paulo agradecem o apoio dos torcedores no Mineirão — Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net
ge — Belo Horizonte

Com 14 desfalques, Tricolor segura o Atlético-MG diante de mais de 50 mil pessoas no Mineirão e agora encara duelo com Palmeiras, que pode definir o rumo para o restante de 2022

Eram 14 desfalques e um dos ambientes mais hostis do Brasileirão: o Mineirão com mais de 50 mil torcedores do Atlético-MG. Na defesa, Luizão estreava em partidas pelo campeonato e encarava Hulk, talvez o melhor atacante do país. As circunstâncias e o cenário eram negativos, mas o São Paulo saiu de Belo Horizonte fortalecido para o "jogo da temporada".

A última amostra antes da partida contra o Palmeiras pela Copa do Brasil, marcada para quinta-feira, às 20h (de Brasília), deu orgulho ao técnico Rogério Ceni, segundo o próprio em entrevista coletiva. Apesar do empate sem gols no duelo pela 16ª rodada do Brasileirão, o teste terminou com aprovação do lado são-paulino.

São Paulo frustrou o Atlético com um sistema de marcação seguro e criou oportunidades para sair vitorioso do Mineirão, mesmo sem titulares importantes como Diego Costa, Léo, Gabriel Neves, Luciano e Rodrigo Nestor, todos suspensos.

Para segurar o Galo, Rogério apostou em um estreante Luizão, que nunca havia atuado pelo Brasileirão, e em Rafinha na função de terceiro defensor na linha de cinco que montou. Deu certo durante boa parte dos 90 minutos.

No meio, o treinador voltou a apostar em Pablo Maia, que, com encaixe individual, reduziu Nacho Fernández a uma atuação apagada. Foi talvez a melhor partida do jovem desde o período de ascensão no vice-campeonato do Paulistão.

Os jovens carregaram, enquanto os veteranos sustentaram. Além do citado Rafinha, Miranda se sobressaiu em duelo com Hulk, mesmo contra fatores importantes que jogavam o favoritismo para o Atlético-MG.

Ofensivamente, o São Paulo conseguiu trabalhar com a posse de bola e encontrar contragolpes com paciência e bola no pé. Igor Gomes, com mais liberdade diante das presenças de Pablo Maia, Patrick e Talles Costa no meio, apareceu duas vezes para finalizar com perigo somente na primeira etapa.

Na segunda, no espaço de um minuto, Patrick não fez o gol por centímetros, enquanto Pablo Maia exigiu ótima defesa de Everson na sequência da jogada. O São Paulo ali conseguiu controlar minimamente o ambiente totalmente adverso. Fica um ponto a ser considerado para quinta-feira no Allianz Parque.

Rogério Ceni, técnico do São Paulo, comemora resultado contra o Atlético-MG — Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net

Rogério Ceni, técnico do São Paulo, comemora resultado contra o Atlético-MG — Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net

Por que é o duelo com o Palmeiras é o "jogo da temporada"?

Ambiente hostil e time forte são coisas que o São Paulo encontrará na quinta-feira, dia no qual todo um planejamento para o restante da temporada pode ser definido. Se a vaga vier, o Tricolor permanecerá vivo em três competições e necessitará de reforços importantes para brigar nas três frentes (tem também a Copa Sul-Americana).

Caso o Palmeiras avance, o clube do Morumbi deve ter um mercado mais cauteloso e tímido. Ceni, antes de decidir o futuro, só tem um pedido para a diretoria: não errar em quem trazer para este momento – o São Paulo já anunciou Marcos Guilherme.

– Não precisamos é de contratação equivocada e de atletas que não podemos pagar. Acredito que somos um clube aberto a boas negociações, mas não podemos cometer erros grotescos. Meu comprometimento é tentar resgatar o que a gente viu em um São Paulo do passado – comentou Rogério Ceni.

– Queremos trabalhar para diminuir a dívida, a folha salarial a longo prazo, lançar meninos da base...é preciso ter paciência para sanar essas dificuldades. Hoje terminamos o jogo com um meio-campo sub-20 com Pablo Maia, Moreira e Rodriguinho. É preciso ter paciência – destacou.